quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Mais do que uma punição, uma questão de bom senso - Projeto de Lei da Câmara 99/2007 que torna grave a multa para quem estacionar em vagas reservadas para idosos e pessoas com deficiência.

5/02/2014 17:00
Marianne Pinotti
Mais do que uma punição, uma questão de bom senso
Em setembro do ano passado, os senadores aprovaram o Projeto de Lei da Câmara 99/2007 que torna grave a multa para quem estacionar em vagas reservadas para idosos e pessoas com deficiência. Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) considera estacionar nessas vagas reservadas como infração leve, com multa de R$ 53,20 e três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A mudança aprovada pelo Senado eleva essa infração para o nível grave, multa de R$ 127,69; cinco pontos na CNH e apreensão do veículo.
O projeto também trata de outros temas relacionados à legislação de trânsito, mas a atenção especial dada, pelo texto, às vagas reservadas para idosos e pessoas com deficiência apesar de louvável, causa-nos uma sensação de descrença da racionalidade humana.
Será preciso uma lei mais rígida para lembrar as pessoas a praticarem cidadania?
Ser cidadão é ter direito à vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade perante a lei, enfim, é poder exercer esse conjunto de direitos, mas estando sujeito a deveres que lhe são impostos. Deveres legais e morais. Mais do que praticar uma cidadania política, é inadiável a prática do respeito social. Parar em uma vaga reservada para idoso ou pessoa com deficiência, mesmo que seja por um minutinho para esperar alguém, é impactar o acesso de quem já sofre com a falta de mobilidade em muitos outros equipamentos urbanos.
Há mais de seis anos que o Projeto de Lei está tramitando e agora, por ter sofrido alterações no Senado, ainda retorna para a Câmara para ser analisado novamente. Mesmo assim, não são esses anos de demora que vão resolver uma questão tão abstrata como essa de discernir com razoabilidade o tipo de conduta a se adotar numa situação cotidiana em que se deve optar por esta ou aquela vaga para estacionar.
Paralelamente às legislações punitivas, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida vem distribuindo aos munícipes - em campanhas educativas - as "Multas Morais”. Um tipo de impresso semelhante ao utilizado pelos agentes de trânsito que contém informações educativas e serve para alertar os cidadãos que desrespeitam as vagas reservadas. Qualquer pessoa pode, inclusive, imprimi-lo do site da secretaria e criar o hábito de usá-la!
Espera-se que, muito em breve, não precisemos mais de campanhas instrutivas e nem de ferramentas legais para conscientizar as pessoas a fazerem o que a elas já são de dever. Não estacionar em vaga reservada é mais do que um dever passível de punição legal, é uma questão de bom senso.
E no processo de construção de uma sociedade avançada é mais do que urgente atentarmos à questão da diversidade humana, seja ela cultural, religiosa, étnica ou física. Liberdades e direitos individuais garantidos por lei ou, involuntariamente, pelo bom senso são prerrogativas básicas e estruturantes de uma sociedade mais desenvolvida.
Marianne Pinotti - médica ginecologista e mastologista, secretária municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida da Prefeitura de São Paulo.


http://www.antp.org.br/website/noticias/ponto-de-vista/show.asp?npgCode=C9634790-E5D5-403E-9BB3-7495A5113B65 

Nenhum comentário:

Mara Gabrilli eleita para Comissão da ONU sobre Direitos das Pessoas com...

Publicado em 12 de jun de 2018 Deputada federal do estado de São Paulo, no Brasil, Mara Gabrilli, recebeu 103 votos para integrar o ...