sexta-feira, 6 de abril de 2012

fila preferencial ou senha preferencial para idosos, deficientes e outros que exigem atenção especial.


De: Alberto Nogueira [mailto:nogbronca@gmail.com]
Enviada em: segunda-feira, 2 de abril de 2012 16:49
Para: berna berna
Assunto: Re: Atendimento preferencial


Bernadete e isto mesmo. Veja a materia, agora postada no Blog do Bronca.


Alberto,

    Nossas agências seguem interpretando a lei como fila preferencial ou senha preferencial para idosos, deficientes e outros que exigem atenção especial. Na verdade, o atendimento é preferencial.Precisamos divulgar.
  Abraços. Bernadete
Ber/Berna/Dete/Bernadete/Profe/Dinda





MPF/SE exige que Banco do Brasil e Caixa respeitem atendimento prioritário
30/3/2012
Agências bancárias não atendiam prontamente senhas preferenciais
O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em Sergipe (PRDC/SE), moveu uma ação contra o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF) por não respeitarem o atendimento prioritário.

Após uma representação da Associação de Deficientes Motores de Sergipe (ADM-SE) e de inquérito conduzido pelo MPF, foi constatado que o Banco do Brasil e Caixa Econômica não estavam cumprindo a legislação nacional que assegura atendimento prioritário e imediato aos portadores de deficiência física, aos idosos com idade igual ou superior a 60 anos, às gestantes, às lactantes e às pessoas acompanhadas por crianças de colo.

De acordo com o relatório da investigação, em uma determinada agência havia seis pessoas com senhas preferenciais aguardando atendimento, mas apenas depois de oito chamadas de senhas comuns, os preferenciais começaram a ser atendidos.

O procurador regional dos direitos do cidadão Pablo Coutinho Barreto lembra que a legislação exige não apenas o tratamento diferenciado a esse grupo de pessoas, mas também o atendimento imediato, antes de qualquer outra pessoa, depois de concluído o atendimento que estiver em andamento.

Pedido – O MPF pediu que fosse concedida uma liminar que obrigue os réus a promover em suas agências em Sergipe o efetivo atendimento prioritário imediato, sob pena de multa de R$ 5 mil por cada descumprimento constatado. Em caráter definitivo, o MPF reforçou o pedido da liminar e pediu condenação ao pagamento de indenização por danos morais coletivos em valor não inferior a R$ 100 mil.


Assessoria de Comunicação
Ministério Público Federal em Sergipe
(79) 3301-3874 / 3301-3837
ascom@prse.mpf.gov.br
Twitter: @MPF_SE




Nenhum comentário:

Mara Gabrilli eleita para Comissão da ONU sobre Direitos das Pessoas com...

Publicado em 12 de jun de 2018 Deputada federal do estado de São Paulo, no Brasil, Mara Gabrilli, recebeu 103 votos para integrar o ...