sábado, 8 de janeiro de 2011

Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)

Subject: Re: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)

Amigos,

O particular amigo e colega José Alcides Marton, que tem uma exuberante atividade no CONADE - Conselho Nacional de Direitos da Pessoa com Deficiencia comunica que a Ministra Maria do Rosario (leia abaixo) da Secretaria de Direitos Humanos da Presidencia da República, depois de empossada, nomeou seus principais auxiliares.

E entre eles, uma surpresa, um amigo de luta de direitos, que conheci desde na decada de 70 - ambos eramos atletas do basquete em cadeiras de rodas, contra o qual joguei muitas vezes - hoje renomado sociologo da Ulbra-RS, será o Titular Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiencia.

Trata-se do sociólogo Humberto Lippo Pinheiro, que também foi um fundador, dirigente e expoente da ONEDEF - ORGANIZAÇÃO NACIONAL DE ENTIDADES DE DEFICIENTES FÍSICOS, que projetou para o Brasil e para o mundo, várias lideranças de proa. Ele é ligado ao Senador Paulo Paim-RS.

Deverá ser um lutador inconteste para a garantia dos direitos das pessoas com deficiencia e trará muitas notícias alvissareiras para todos.

Eis uma materia que ele produziiu e escreveu em vários blogs e sites sobre o Pre-Sal e as pessoas com deficiencias.

PRÉ-SAL REPARAR, UMA DÍVIDA COM OS MAIS POBRES… A PESSOA COM DEFICIÊNCIA
A saída do segmento das pessoas com deficiência da pirâmide social da extrema pobreza deve ocorrer com políticas públicas como a criação da Lei do Petróleo, com reserva 5% dos recursos do Fundo Social, a ser criado sobre as receitas do petróleo explorado na camada do Pré- sal. Destinar às camadas das pessoas com deficiência, para sua formação, capacitação ao trabalho e sua inserção social.
Valem mais de 100 bilhões de Euros o Pré sal, sendo assim, nossos olhos se enchem com intenções de jogar 5% deste recurso para tentar erradicar ou amenizar a dificuldade das pessoas com deficiência no Brasil.
Será um marco histórico na inclusão social dos excluídos e minoria no pais.
No Brasil, um pais em desenvolvimento, tecnologia sai muito caro, se produz pouca matemática, comprometendo assim o nosso nível tecnológico.
Neste sentido o preço de próteses, órteses, aparelhos auditivos, subiu mais de 232%, só o preço da cadeira de rodas teve um aumento de mais de 212% encarecendo muito o produto. Uma cadeira digna esta custando no mínimo 3 mil reis, provando assim que ser pessoa com deficiência para sobreviver sai muito caro. E Como sai.
Praças públicas, sem adaptações, falta de lazer, falta de moradia e principalmente falta de transporte adaptado para o ir e vir de uma pessoa com deficiência, estão classificados também como os principais problemas.
A classe trabalhadora com deficiência, por exemplo, é uma que mais sofre.
Apesar dos planos de expansão bombardeados na mídia nacional sobre a revolução dos transportes dos trens metropolitanos, nós pessoas com deficiência ainda não conseguimos sair de casa. Pois o sistema de transporte não nos permite, apesar de farta legislação e normas.
Neste sentido, pensamos que os transportes de pessoas com deficiência dentro do território Nacional em todas as capitais do Brasil não consegue atender nossas necessidades de transporte, que é um transporte com segurança e qualidade.
A falta de informação e estudos sobre como dar acesso às pessoas com deficiência no Estado de São Paulo deixa os gestores daquele estado e praticamente em todo território nacional sem nenhum conhecimento de como dar a garantia de ir e vir que querem, por exemplo, exercer seu direito de cidadão que é trabalhar e chegar ao trabalho às 07:00 da manhã e baterem seus cartões.
O acesso de pessoas com deficiência no campo e nos centros urbanos são precários . Faltam, verbas públicas destinadas a este fim, é necessária uma política de governo que pode ser estabelecida a partir das responsabilidades das partes.
A riqueza dada ao Brasil, pela sua própria natureza é um olhar que deve ser direcionado no sentido de diminuirmos a posição em que se encontram as pessoas com deficiência na colocação da renda dentro de nossos pais, este segmento, segundo o IBGE, está localizado na faixa de extrema pobreza.
Neste sentido pensamos que se destinarmos 5% para o FUNDO DE RESERVA SOCIAL, com o objetivo de educar, profissionalizar-se especializar o segmento das pessoas com deficiência em todo o território nacional, estaríamos dando um gigantesco passo para o crescimento do país, pois a população com deficiência soma 14,5% segundo dados do censo IBGE 2000, e deixar um contingente desse tamanho alijado das oportunidades de produzir para o Brasil não parece ser muito inteligente.
Bilhões de reais serão gastados para adaptar parques públicos, escolas, fóruns, postos de saúde, transportes, dando o direito intrínseco de todo o cidadão de viver com qualidade.
É necessária muita mobilização para realização e articulação das pessoas com deficiência para que possamos gerar ações verdadeiras que realmente atinjam nas veias esses cidadãos que estejam em vulnerabilidade, é nosso dever público.
Portanto nós clamamos a toda pessoa com e sem deficiência para que se engajem nesta luta que se dará com muito gesto público e ação política.
Vamos todos juntos nesta luta, vamos molhar nossas muletas, cadeiras de rodas, e pernas mecânicas de “Petróleo” que é a maior riqueza do sistema capitalista.
E nós temos este direito.
Pré-sal é nosso… das pessoas com deficiência também.
Humberto Lippo
(PS: Anexo, foto do Humberto)
Humberto Lippo
   
----- Original Message -----
Sent: Saturday, January 08, 2011 6:52 AM
Subject: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)





Ministra Maria do Rosário apresenta novo secretariado à equipe da SDH
Data: 06/01/2011
A ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), promoveu nesta quinta-feira (6/01/2011) uma reunião com toda a equipe para apresentar o novo secretariado. Além de diretores e coordenadores das diversas áreas, participaram da reunião garçons, motoristas, auxiliares administrativos e demais integrantes das equipes de apoio. “Nossas responsabilidades são diferentes, mas peço a todos que atuem de forma colaborativa, solidária e franca. Temos o desafio de formar um país consciente da importância dos Direitos Humanos”, disse a ministra.
Maria do Rosário enfatizou a importância de cada um dos membros da equipe da SDH. “Estamos todos aqui lutar pela implementação dos Direitos Humanos no Brasil, e vamos aproveitar a capacidade técnica e também a militância de cada um”, afirmou a ministra.
O novo secretário executivo, André Lázaro, disse ter encontrado “pessoas profundamente motivadas” e pediu que as tarefas em curso não sejam interrompidas.
O secretário de gestão da Política de Direitos Humanos será o professor Gleisson Rubin. A Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente seguirá sob responsabilidade de Carmen Silveira de Oliveira, doutora em psicologia. A Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência será ocupada por Humberto Lippo, enquanto o novo secretário de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos será o advogado Ramais de Castro.



Nenhum comentário:

Mara Gabrilli eleita para Comissão da ONU sobre Direitos das Pessoas com...

Publicado em 12 de jun de 2018 Deputada federal do estado de São Paulo, no Brasil, Mara Gabrilli, recebeu 103 votos para integrar o ...